Integrando no mesmo espaço serviços especializados para enfrentar os mais diversos tipos de violência contra a mulher, a Casa da Mulher Brasileira é uma grande conquista para os órgãos da Rede de Atendimento à Mulher. Em Fortaleza, a inauguração do prédio, que está pronto desde o ano passado, ainda não tem uma data definida.

Para reivindicar a abertura da unidade em Fortaleza, a vereadora Eliana Gomes (PCdoB) construiu, junto à Coordenadoria de Mulheres do Governo do Ceará e entidades /movimentos mobilização realizada em frente ao equipamento nesta segunda-feira (07/08), data em que se celebram os 11 anos da Lei Maria da Penha. A ação contou com muitos discursos pró-funcionamento da Casa, apresentações artísticas, um abraço coletivo na Casa da Mulher Brasileira e prestação de serviços em tendas montadas ao redor do prédio.

Para a vereadora, o objetivo do ato foi alcançado, que era convocar o povo de Fortaleza e dar visibilidade à necessidade de imediato funcionamento do equipamento público. “A Casa da Mulher não é só uma estrutura de apoio, de conquista de autonomia e justiça, é uma proposta ideológica que pode incentivar todas as formas de violência contra a mulher. É uma grande aliada para a extinção da cultura machista, que violenta nossa sociedade”, disse Eliana.

De acordo com a parlamentar, o equipamento possibilitará um grande salto na política de atenção à mulher, mediante a articulação dos atendimentos especializados no âmbito da saúde, da justiça, da segurança pública, da rede socioassistencial e da promoção da autonomia financeira.

Bem representativa, a atividade contou com a participação de representantes de instituições como a Coordenadoria de Políticas para as Mulheres do Governo do Ceará; o Conselho Cearense dos Direitos da Mulher; Instituto Maria da Penha; Procuradoria da Mulher da Assembleia Legislativa; Coordenadoria Especial da Mulher da Prefeitura de Fortaleza; Centro Municipal de Referência da Mulher Francisca Clotilde; Defensoria Pública Geral do Estado do Ceará; Juizado da Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher da Comarca de Fortaleza; Tribunal de Justiça do Ceará; Movimento Outubro Rosa; Secretaria da Saúde; Secretaria da Educação; Secretaria da Justiça e Cidadania; Secretaria da Segurança Pública; Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social; e de parlamentares, entre eles o deputado federal Chico Lopes, a deputada estadual Rachel Marques, a vereadora Larissa Gaspar e o vereador Raimundo Filho.

Serviços da Casa da Mulher Brasileira

Atendimento Humanizado

ACOLHIMENTO

Porta de entrada da Casa, cria confiança e encaminha a vítima para outros atendimentos e serviços.

APOIO PSICOSSOCIAL

Equipe multidisciplinar presta atendimento psicossocial continuado para a superação do sofrimento.

PROMOÇÃO DE AUTONOMIA ECONÔMICA

Promove o acesso a programas de assistência social, qualificação profissional e inserção no mercado de trabalho.

Justiça

JUIZADO E VARA ESPECIALIZADA

Órgãos da Justiça processam, julgam e executam causas de violência doméstica e familiar, de acordo com a Lei Maria da Penha.

MINISTÉRIO PÚBLICO

Executa ação penal para crimes de violência contra mulheres e fiscaliza serviços de rede de atendimento.

DEFENSORIA PÚBLICA

Orienta as mulheres sobre direitos, presta assistência jurídica e acompanha as etapas do processo judicial.

Segurança

DELEGACIA ESPECIALIZADA

Unidade da Polícia Civil trabalha na prevenção, proteção e investigação dos crimes como violência sexual e doméstica.

Outros Serviços

BRINQUEDOTECA

Acolhe crianças de 0 a 12 anos de idade, que acompanham mulheres durante atendimento.

ALOJAMENTO DE PASSAGEM

Área abriga por até 48 horas vítimas em situação de violência, acompanhamento ou não dos filhos.

CENTRAL DE TRANSPORTES

Deslocamento de mulheres para demais serviços da rede de atendimento: saúde, medicina legal, abrigos e outros.

ESPAÇO DE CONVIVÊNCIA