A primeira parte do seminário 16 Dias de Ativismo: Direitos, Lutas e Resistências contou com a participação da ativista Maria da Penha Fernandes durante a manhã desta segunda-feira (27/11), na Assembleia Legislativa. Ela ressaltou que uma das medidas mais urgentes no combate à violência de gênero deve ser a criação de centros de referência da mulher nos municípios menores do interior do Estado.

O evento faz parte da programação da campanha 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres, uma parceria da Casa, por intermédio da Procuradoria Especial da Mulher, e Governo do Estado, por meio da Coordenadoria de Mulheres, Câmara Municipal de Fortaleza e Conselho Estadual de Mulheres.

Para Maria da Penha, cujo caso de violência doméstica sofrido por ela inspirou a criação da lei 11.340/2006, que leva seu nome, muito ainda precisa ser feito, principalmente fora das metrópoles. Ela considerou que as grandes cidades já instituíram suas políticas de proteção à mulher, mas a criação dos centros de referência no Interior se faz necessária para que “as mulheres possam ser orientadas acerca dos seus direitos”.

“Com o aumento de políticas públicas nas grandes cidades, o número de denúncias aumentou, por que agora as mulheres estão se sentindo mais seguras e acreditadas pelas instituições”, considerou.

A deputada Augusta Brito (PCdoB), que conduziu a participação dos convidados durante o seminário, informou que, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Maria da Penha, o Ceará ocupa o terceiro lugar em violência contra a mulher entre os estados do Nordeste. Ainda de acordo com o levantamento, a cada 17 minutos uma mulher é vítima de agressão em todo o Brasil.

Para a parlamentar, “é muito importante não considerar esse tipo dado como algo normal, assim como nos incluir nesse processo. Queremos acordar algumas pessoas com esse seminário, e reforçar esses números para que percebam a importância da efetivação de mais políticas públicas”, defendeu.

A vereadora Eliana Gomes (PCdoB) reforçou os argumentos de Maria da Penha e destacou que a Casa da Mulher Brasileira de Fortaleza está pronta deste setembro de 2016 e ainda não foi inaugurada pelo Governo Federal e repassada para a administração do Executivo estadual. “As nossas mulheres estão sofrendo e não podemos deixar uma Casa tão bela e tão linda ficar ali fechada. É uma demanda de todos e todas que querem uma sociedade mais justa e igualitária”, disse sobre o equipamento que deve oferecer todos os serviços de atendimento à mulher vítima de violência.

Acompanhe discurso completo de Eliana Gomes no vídeo:

Acompanhe discurso da vereadora Eliana Gomes no Seminário 16 dias de ativismo: Direitos, Lutas e Resistências, que acontece nesta segunda-feira, 27/11, na Assembleia Legislativa do Ceará. A atividade conta com o apoio da parlamentar e é uma iniciativa da Procuradora Especial da Mulher, deputada estadual Augusta Brito, e da Coordenadoria de Mulheres do Ceará.

Publicado por Eliana Gomes em Segunda, 27 de novembro de 2017

A coordenadora especial de Políticas Públicas para Mulheres do Gabinete do Governador, Camila da Silva Silveira, afirmou que o Governo do Estado, por meio das suas instituições, está pronto para receber todo tipo de demanda referente ao tema violência contra a mulher.

As atividades da campanha Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres, que são promovidas por diversas entidades e instituições ligadas a essa luta, tiveram início na quinta-feira (23/11) e vão até 10 de dezembro (Dia Internacional dos Direitos Humanos), tendo como mote ainda o Dia Nacional de Mobilização dos Homens pelo Fim da Violência contra as Mulheres, comemorado em 6 de dezembro.

Além da presença de Maria da Penha e de uma apresentação da lei que leva seu nome; participaram do evento Roberta Viergas, coordenadora do Observatório da Mulher contra a Violência e do Comitê pela Promoção da Igualdade de Gênero e Raça do Senado; e Zelma Madeira, coordenadora da Coordenadoria de Promoção da Igualdade Racial e Professora da Universidade Estadual do Ceará (Uece).

Também estiveram presentes ao evento na manhã dessa segunda-feira o deputado federal Chico Lopes (PCdoB-CE); a defensora pública e supervisora do Núcleo de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher da Defensoria Pública do Estado do Ceará (Nudem), Jeritza Lopes Braga; a pesquisadora da Fundação Joaquim Nabuco e Ex-Secretária de Estado da Secretaria da Mulher de Pernambuco, Cristina Buarque; o  presidente da Associação dos Municípios do Ceará e Prefeito do Município de São Benedito, Gadyel Gonçalves de Aguiar; a coordenadora do Observatório da Mulher contra a Violência, Roberta Viegas; e o psicólogo Daniel Costa Lima.